sexta-feira, 23 de abril de 2010

O amor não existe

Não existe. O que tanto a jovem procurou simplesmente não existe. Buscou em cada pessoa, em cada atitude, instituição, profissão, debaixo da cama, dentro do armário, atrás das portas, nas janelas, nas danceterias, nos barzinhos, nas festas, nos churrascos, na internet, na prosa e na poesia. “Se eu fosse o amor, onde me esconderia?”, questionou.

Procurou-o nas flores, mas só encontrou beleza e perfume. Foi às músicas e ouviu lamentações. No vento encontrou o arrepio e o som. Na chuva molhou-se e não sentiu o amor. Nos homens encontrou o prazer. Nas amigas, a cumplicidade. Na família, o apoio. Nas pessoas, a mágoa. No tempo, a saudade. Na morte, o descanso. Nas crianças, os sonhos. Nos amantes, o desejo. Mas em nenhum lugar encontrou o amor.

Conheceu alguém e sentiu admiração. Mais um tempo e sentiu amizade, foi sua cúmplice. Semanas depois, paixão. Respeitou suas ideias, ainda que discordasse de algumas. Sonharam juntos. Conheceu sua beleza, seu perfume, sentiu saudades, ouviu suas lamentações, sentiu arrepios, desejo, prazer, magoou-se. Na morte de tudo aquilo, o descanso da procura incessante.

Nunca o amou. Viveram, sim, um conjunto de experiências e sentimentos. Mas o tal amor, este ela nunca sentiu. Nunca o entendeu.

“O amor não existe”, concluiu e pela primeira vez dormiu em paz.

Lily Braun

13 comentários:

Daniel Savio disse...

Penso que o problema foi a procura, pois amor quando menos se espera, ele aparece...

Fique com Deus, menina lily.
Um abraço.

BelaCavalcanti disse...

Boba e linda Lily Braum: O amor existe, SIM. E existe, especialmente, para alguem com tanta sensibilidade como vc. Talvez essa pessoa, com a qual vc viveu esse conjunto de experiencias, so esteja esperando uma segunda chance ;-)

Ps- E por que nao tentar. O que tem a perder??? AVANTE!

plinio disse...

SERÁ POSSIVEL que vc nao enxerga que é VC que tem que se valorizar??? Ninguém conquista homem fazendo suruba e abrindo as pernas. NINGUEM. Tem que ter algo alem... se nao existe isso, ta dificl#VA SE TRATAR!

Mulheres de Atenas disse...

Meu caro, plinio, com p minúsculo, com as facilidades que a internet nos trouxe é suuuper facinho encontrar explicações para ficção e, mais ainda, sobre os tipos de escrita. Para você melhor entender:
"O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho). Entre suas principais características, estão a concisão, a precisão, a densidade, a unidade de efeito ou impressão total – da qual falava Poe (1809-1849) e Tchekhov (1860-1904): o conto precisa causar um efeito singular no leitor; muita excitação e emotividade. Ao escritor de contos dá-se o nome de contista." - Sim, no Wikipédia, mesmo, simples assim...

Agora entende o significado e o que se pretende com esse blog? Caso não, melhor não vir mais até aqui. Facinho!

Lily, mais uma ótima narrativa, invariavelmente.

Beijos,
Lola.

Michele Matos disse...

Esse plínio tem problema.
Texto ótimo!!
=)

Mulheres de Atenas disse...

Hahaha, arrasou Lola.
Simples assim. Kkkkkkkkkkk

Texto lindo, Lily. Pessimista, mas bonito. E sim, o amor existe. É sacana, pois se esconde, se disfarça. Mas um dia ele aparece, despropositalmente.

Lígia.

BelaCavalcanti disse...

Duvido que foi Plinio quem postou esse comentário! Basta rstrear para ver que veio de um pais de fora. provavelmente de algum OTÁRIO-PIRRALHO e muito ignorante dessa residencia.
Ps - O amor existe e vc pode ter o homem que quiser nas suas mãos. Se vc é quem eu penso que é: É linda, inteligente, meiga e cheia de talento#CUIDADOCOMINVEJA!!!

Mulheres de Atenas disse...

só eu estou com #medo?

Mulheres de Atenas disse...

Quem diria que o blog nos traria tanta emoção?
Gosto de ver as reações que as palavras provocam, embora nem sempre sejam as que eu previa ou tinha a intenção de passar. Minha personagem entregou-se a apenas uma pessoa, Plínio. Entendo a forma que viu a situação, talvez em uma nova leitura entenda meu ponto de vista.
Quando escrevi este texto, esperava um comentário que dissesse que se este conjunto de sentimentos não é amor, então o que é? Amor é tudo isso junto, não acham? Eu vejo que o amor não é singular, não se sente amor, sente-se uma enxurrada de coisas, cujo conjunto denominamos amor. Então, talvez a jovem da qual falei esteja buscando algo que já tem, sem saber que já o possui!
Beijos (especialmente para Lola e Ligia)
Lily

Mulheres de Atenas disse...

PS:Bela, não sei o que você sabe. Mas seja lá quem você pensa que são Ligia, Lola e Lily, somos todas, invariavelmente, lindas, inteligentes, meigas e cheias de talento!

BelaCavalcanti disse...

Nao tenho duvida disso, queridas. Ou nao as visitaria com tanta frequencia :)))

Rodrigo disse...

Ah, o amor... penso no amor como um conceito. Ele não "existe" ou "não existe" (é, meio ambígua essa frase, mas tudo bem) simplesmente, sozinho, esperando pra alguém achá-lo, mas é construído somando sentimentos crus e outros sentimentos construídos. Por exemplo, o desejo é um sentimento cru, depende só de uma pessoa, você olha, cheira e, a partir de então, deseja, mesmo sem haver a contrapartida.

Ou não.

VELOSO disse...

A felicidade também não existe diria Odair José o que existe na vida são momentos felizes com o amor acho que a coisa é mais ou menos parecido aquele amor eterno é coisa de conto de fadas e novelas agora existe muitas formas de amor, algumas formas não existe mesmo ... LINDO E POLÊMICO CONTO VALEU MULHERES!