quarta-feira, 30 de julho de 2008

Certezas

Eu tenho poucas certezas na vida e hoje eu descobri uma delas. Apesar do desespero, da insatisfação com muita coisa, dos sonhos que de alguma forma parecem interrompidos e da tristeza que tem me acompanhado nos últimos dias, eu sei qual a profissão que eu quero seguir. Estou no caminho. Eu amo as minhas letras e não as deles! É preciso explicar, então vamos lá.

Hoje acompanhei uma equipe de reportagem num trabalho para um jornal. Matéria especial, daquelas que só eu sei o quanto gosto de escrever. Daquelas que você conhece o personagem e se apaixona por sua história. Nestes casos, por mais longo que seja o texto e mesmo que receba elogios sobre quão completo ele está, haverá sempre a sensação de que muita coisa foi deixada de fora. Há uma certa tristeza em publicar, pois parece que a história não deveria terminar assim. E eu estava ali, mas não era a repórter. Era apenas a assessora.

E quando vi tudo isso percebi que estava segurando o choro, que são estes sentimentos que estão faltando na minha vida. Tomei consciência de que eu quero e talvez muito mais do que querer, eu preciso voltar a sentir tudo isso. Hoje e só hoje eu compreendo as falas de grandes profissionais, quando dizem que o amor é fundamental.

No final de tudo, não bastasse todo este sentimento, fui tentar por a casa em ordem, pois passei o dia todo 'borboleteando' por aí. Dentre as atribuições, precisava fixar alguns avisos nas salas de aula. Até que um amigo (e ele vai saber que foi ele e não deve se sentir culpado por isso) me disse algo mais ou menos assim: "Eu, quando fizer jornalismo, vou me dedicar para ir além de pregar cartazes". Foi uma brincadeira bem humorada e eu ri. Mas isso me faz ter mais uma certeza, eu sou maior do que isso. Eu sei fazer mais do que isso.

Não quero que o blog vire um espaço de lamentação. Ele também é maior que isso. Mas hoje eu precisava... E quero também ouvir, quais são as suas certezas?

Helena (Não estou azeda, mas um tanto amarga...)

PS: Carolina, por favor, sente aí e escreva alguma coisa e, se possível, mude de assunto.

3 comentários:

Mulheres de Atenas disse...

ahahaha
aíii, Helena!!
e eu que estava com um pressentimento que a Carolina escreveria justamente outras lamúrias da sanha jornalística...
mas tudo bem, vou me contentar em ver outro texto..
mas sabe que lendo o seu me percebe que talves não seja tão apaixonada quanto vc, penso...
mas ultimamente tenho pensado tanto que nem me lembro a que conclusões chego, cada dia é uma..
mas!! até amanhãaaaaaaaaaaaa
;DDDD

bjsss

boa viagem pra nós..


Carolina

KAKA disse...

lamentações são necessárias!! nelas nos encontramos ou nos perdemos, sempre e inevitavelmente fazem parte do somos, não se preocupe! bjos da KK

Mulheres de Atenas disse...

As lamentações de três jornalistas. Acho que esse nome ficaria mais apropriado para o blog! No fim, concordo com Carolina (a de Athenas). As mulheres de Athenas precisam amar!
Beatriz